Coletiva – A noite não adormecerá

A noite como o lugar do breu, do silêncio absoluto, da cidade morta, da mata escura onde nada se vê e tudo se teme. Ou a noite insone da pista de dança, das sirenes da polícia, dos bichos à espreita, da música que pulsa, do êxtase, do sexo, do fantástico. A noite em claro como fruto de um esgotamento tão extremo que não permite o relaxamento dos músculos e dos olhos: o cansaço da lida, a memória do abismo. A noite vasta e necessária para a construção de um ato de revide, que amola os fios para abrir num só golpe o topo dos vulcões e deixá-los jorrar a potência de séculos de espera. “A noite não adormecerá jamais nos olhos das fêmeas/ pois do nosso sangue-mulher/ de nosso líquido lembradiço/ em cada gota que jorra/ um fio invisível e tônico/ pacientemente cose a rede/ de nossa milenar resistência”, escreve a poeta mineira Conceição Evaristo, em um poema-libelo sobre a resistência feminina.

Os corpos, as subjetividades e os territórios femininos foram e são reiteradamente colocados no lugar da subvalorização e da desimportância, e é sobre o gestar de uma resposta que este grupo fala. As onze artistas que compõem esta mostra coletiva apresentam aqui trabalhos que transitam por diversos suportes, discursos e técnicas, mas que trazem em seu conjunto a pujança de uma subjetividade que se impõe com a força de uma arma de combate. Falam das potências do corpo, da crise política, da tortura, do prazer, do racismo, da violência de gênero, do espírito e do espiritual, do medo, da geografia, do sonho, do delírio, da resistência. As artistas prezam, aqui, pela aspereza e insurgência dos seus corpos, dos seus territórios e das suas representações. Não há delicadeza possível agora, pois que é preciso dizer e dizer-se ao mundo com urgência. Alice Vinagre, Amanda Melo da Mota, Clara Moreira, Gio Simões, Juliana Lapa, Juliana Notari, Mariana de Matos, Marie Carangi, Regina José Galindo, Regina Parra e Virgínia de Medeiros compõem esta exposição coletiva.

A noite não adormecerá – Curadoria: Julya Vasconcelos
Artistas: Amanda Melo da Mota, Clara Moreira, Gio Simões, Isabela Stampanoni, Juliana Lapa,
Juliana Notari, Maré de Matos, Marie Carangi, Regina Galindo, Regina Parra e Virgínia de
Medeiros
Abertura 1 de marco de 2018, a partir das 19h
Visitação de 2 de março a 21 de abril.
Segunda à sexta, das 10h às 19h.
Sábados das 11h às 17h.
Galeria Amparo 60 Califórnia
Rua Artur Muniz, 82. Primeiro andar, salas 13/14
Boa Viagem, Recife – PE
+55 81 3033.6060

Nenhum comentário

Comentários fechados.

Segunda a sexta: 10h às 19h
Sábado: 11h às 17h

+55 81 3033.6060

+55 81 99986.0016

galeria@amparo60.com.br

Rua Artur Muniz, nº 82, 1º andar, salas 13 e 14 (Entrada pelo restaurante Alphaiate)
Boa Viagem | Recife | Pernambuco